Diversificar as áreas de atuação é a tendência para o mercado de academias

A busca pela diversificação e se aprofundar em um nicho específico de mercado pode ser o diferencial entre uma empresa bem-sucedida daquelas que não investem em uma nova segmentação. 

O tema é tão importante que foi destaque da 11a edição do encontro Estadão PME (Pequenas e Médias Empresas). Uma rodada de debates que contou com nomes importantes da área para discutir os rumos do fitness no Brasil. 

Durante o evento, que aconteceu na segunda semana de dezembro, Paulo Akiau, sócio da Tribes Company, conglomerado que representa as empresas W12, Body Systems, Core 360 e Portal da Educação Física, falou sobre os rumos do mercado fitness e a forma como ele está se expandindo ao lado de Edgard Corona, dono da rede Bio Ritmo e SmartFit. 
 
Em entrevista ao jornal Estadão, Akiau destacou a importância de encontrar novos mercados e faou da influência da Body Systems nesse processo. 
 
“A gente tem de ampliar o leque de opções. Nossa empresa nasceu como uma solução para academias, mas estamos hoje saindo desse universo exclusivo, atuando no universo de educação física. Hoje o nosso faturamento está bem dividido entre as empresas, sendo que a Body Systems representa 50% do nosso faturamento total. Só que a proporção vem mudando rapidamente e, em breve, imagino uma transformação nessa configuração.”
 
Os rumos do mercado também foram abordados no encontro por Akiau: “As academias brasileiras são nitidamente mais vazias que em mercados mais maduros, como é o caso dos Estados Unidos. A gente não consegue colocar um aluno por metro quadrado construído e o faturamento dos empresários é, comparativamente, bem mais baixo do que nos Estados Unidos.” 
 
Com isso, ficou em evidência que se as academias pararem no tempo e não buscarem por alternativas para atrair e reter seus clientes, será difícil manter o negócio de portas abertas. Dessa forma, a capacitação em novas áreas, como no treinamento funcional desenvolvido pelo Core 360, agrega valor à empresa e chama a atenção das pessoas que estão em busca de novas modalidades. 
 
“O universo de Personal Trainers é muito interessante. Provavelmente, você vai encontrar esse profissional ganhando dinheiro e posicionado numa faixa de renda que pode ser classificada como média-alta em número maior do que os donos de academias, que não estão ganhando tanto assim. Nossa empresa de treinamento cresce porque está posicionada para atender justamente esse profissional.”
 
 

A Ciência por trás da combinação de música e exercício

O que você nota quando se exercita com música? Fica mais fácil? Isso motiva você? Pesquisadores analisaram exatamente esta questão e aqui está o que eles descobriram… | Por Bryce Hastings

Seja marchando com Pink, pedalando com Coldplay, agachando com Lady Gaga ou subindo no step com Swedish House Mafia, não há dúvida que treinar com música faz diferença.
 
 
O efeito da música depende do tipo de exercício que você faz. Se você está trabalhando em intensidade de leve a moderada, pesquisas mostram que a música pode ser uma boa para diminuir a sensação de esforço percebido. Isso em geral acontece pois ouvir a música bombardeia seu cérebro de estímulos e faz com que você se distraia do esforço que está fazendo.
 
Quando falamos de intensidades mais altas ouvindo música é menos provável que a percepção de esforço diminua. Quando a intensidade chega a um certo nível, a música não é distração suficiente. Entretanto, mesmo no exercício de alta intensidade ouvir música é benéfico - muda a maneira com que você responde ao estímulo intenso, fazendo com que você resista mais tempo ao desconforto.
 
Música também foi citada como ajuda para a eficiência metabólica. Um estudo de 2012 demonstra que ciclistas que pedalaram no tempo da música utilizaram 7% a menos de oxigênio do que os que fizeram fora do ritmo. Parece que a música nos ajuda a alcançar uma eficiência maior de movimento, gastando menos energia.
 
Há quatro aspectos em que a música influencia os exercícios efetivamente. Os pontos mais importantes são: 1. O ritmo da batida da música; 2. A musicalidade, a harmonia; 3. O impacto cultural que ela tem na sociedade e 4. Associações pessoais com trechos das músicas.
Estes quatro aspectos influenciam na motivação. Eles afetam nosso nível de estímulo, a percepção de esforço e finalmente nosso humor. Um estado positivo de humor influencia nosso esforço no exercício e encoraja o praticante a realizar a atividade com mais frequência.
 
Simplificando, não há dúvida que a música possa ter efeitos profundos em como nos exercitamos e no que sentimos durante a atividade
 
Referências:
Music in the exercise domain: a review and synthesis (Part I). Costas I. Karageorghis and David-Lee Priest. School of Sport and Education, Brunel University, London, UK. Version of record first published: 07 Dec 2011.

Yoga: A ciência por trás da antiga arte

Todos sabemos que a yoga é boa para nós… mas por qual razão exatamente? Sempre buscando por respostas, a Les Mills junto com a Universidade de Penn State levantaram recentes estudos para descobrir exatamente os benefícios de alcançar o “Om” e o porquê. Por Bryce Hastings | Les Mills International

Como pode imaginar, já houveram muitos estudos ao longo dos anos sobre os efeitos da yoga e mais especificamente sobre o BODYBALANCE. Estes estudos descobriram que fazer este tipo de exercício regularmente produz efeitos psicológicos e de bem estar significativos, e outros tantos benefícios para a saúde, servindo como um excelente complemento para qualquer programa de treinamento.
 
Mas o que se sabe especificamente sobre BODYBALANCE? O programa entrega os mesmos benefícios que a yoga? A resposta é: SIM!
 
 
BODYBALANCE
 
Um estudo de 2008 (Khna 2008) mediu os efeitos de praticar BODYBALANCE três vezes por semana, durante 12 semanas. Além de todos os efeitos já esperados, os praticantes também sentiram redução em sua ansiedade, assim como uma melhora significativa em força do core e mobilidade de quadril.
 
Sobre a yoga em geral, o que sabemos é: 
 
Saúde psicológica
 
  • Os efeitos da yoga podem ser comparados com tratamentos farmacológicos, terapias em grupo e grupos de suporte social. (Cramer et al, 2013)
  • Devido à boa adesão e falta de interações medicamentosas, a yoga parece ser um meio seguro de desenvolver qualidade de vida - e talvez diminuir os sintomas de estresse e ansiedade (Li & Goldsmith, 2012)
  • Yoga é benéfico para reduzir o estresse. É um efetivo tratamento de doenças emocionais, quando comparado com exercícios de consciência como o tai-chi. (Chong, 2011)
 
Saúde fisiológica
 
  • Pequenas melhoras foram notadas no triglicérides, colesterol e pressão arterial. Dada a evidência limitada até a data da pesquisa, não podemos afirmar que a yoga tem efeitos na prevenção primária de doenças cardiovasculares (Hartley et al, 2014)
  • Yoga tem efeitos moderados no condicionamento físico (força e função cardiorespiratória) e funcional (equilíbrio, velocidade) em idosos. (Roland et al, 2011)
  • Os estudos comparando efeitos da yoga com o de exercícios indicam que a yoga pode ser eficiente para melhorar uma série de fatores, como equilibrar a glicemia (ajudando a prevenir diabetes), lipídios no sangue e indicadores de estresse. (Ross & Thomas, 2010).
 
Composição Corporal
 
  • Yoga aparentemente é um exercício apropriado para a manutenção do peso, prevenção da obesidade e diminuição do risco de doenças onde a obesidade desempenha um papel agravante. (Rioux & Ritenbaugh, 2013) Gradualmente, reduções moderadas no peso e IMC foram observadas na maioria do caso onde a prática foi de 60 minutos, três vezes por semana, durante três meses ou mais.
  • A prática da yoga é um efetivo método de redução do peso corporal em adultos com sobrepeso. (Yang, 2007)
 
Outros Benefícios
 
  • Há uma forte evidência a curto prazo e uma moderada evidência a longo prazo de redução de dor lombar e de mlelhora da mobilidade da coluna, após sessões de yoga. (Cramer et al, 2013)
  • A Hatha Yoga e a Yoga Restaurativa tem a maior relação com resultados positivos de controle da dor (McCall et al, 2013)
  • Pesquisas indicam um pequeno efeito da yoga relacionado à fadiga, especialmente em pacientes com câncer. (Boehm et al, 2012)
  • Tanto em populações saudáveis quanto em doentes, a yoga aparece como fator de melhora subjetiva de fadiga, dor e sono. (Ross & Thomas, 2010)
 
Mulheres Grávidas
 
  • Um programa de yoga para gestantes resulta em benefícios no trabalho de parto e no nascimento do bebê. Melhoras foram observadas em fatores psicológicos durante o período de gestação, durante o trabalho de parto, no peso do recém nascido e também no número de nascimentos prematuros. (Curtis et al, 2012)
 
Referências
 
  • Boehm K, Ostermann T, Milazzo S, Bussing A. Effects of Yoga Interventions on Fatigue: A Meta-Analysis. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine; 1-9, 2012
  • Bussing, A, Michalsen A, Khalsa SBS, Telles S, Sherman KJ. Effects of Yoga on Mental and Physical Health: A Short Summary of Reviews.  Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine; 1-7, 2012
  • Chong, CSM, Tsunaka M, Tsang HWH, Chan EP, Cheung W.  Effects of Yoga on Stress Management in Healthy Adults: A Systematic Review.  Alternative Therapies in Health and Medicine; 17, 1, 2011.
  • Cramer H, Lauche R, Haller H, Dobos G. A Systematic Review and Meta-analysis of Yoga for Low Back Pain. Clinical Journal of Pain, 29:450-460, 2013.
  • Cramer H, Lauche R, Langhorst J, Dobos G. Yoga for depression: a systematic review and meta-analysis depression and anxiety. Depression and Anxiety; 30:1068–1083, 2013.
  • Curtis K, Weinrib A, Katz J. Systematic Review of Yoga for Pregnant Women: Current Status and Future Directions Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine; 1-13, 2012.
  • Hartley L, Dyakova M, Holmes J, Clarke A, Lee MS, Ernst E, Rees K.  Yoga for the primary prevention of cardiovascular disease. The Cochrane Library; 5, 2014.
  • Li AW & Goldsmith CAW.  The Effects of Yoga on Anxiety and Stress Alternative Medicine Review: 17:21-35, 2012.
  • Khan, Physiological and psychological responses to a 12-week BodyBalance training programme Journal of Science and Medicine in Sport (2008]
  • McCall MC, Ward A, Roberts NW, Heneghan C. Overview of Systematic Reviews:
Yoga as a Therapeutic Intervention for Adults with Acute and Chronic Health Conditions. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 1-18, 2013.
  • Rioux, J, and Ritenbaugh C.  Narrative Review of Yoga Intervention Clinical Trials Including Weight-related Outcomes.  Alternative Therapies in Health and Medicine; 19, 3, 2013.
  • Roland KP, Jakobi JM, Jones GR.  Does Yoga Engender Fitness in Older Adults? A Critical Review.  Journal of Aging and Physical Activity; 19:62-79, 2011.
  • Ross A & Thomas S.  The Health Benefits of Yoga and Exercise: A Review of Comparison Studies.  The Journal Of Alternative And Complementary Medicine; 16:3-12, 2010.
  • Yang K.  A Review of Yoga Programs for Four Leading Risk Factors of Chronic Diseases. Advance Access Publication; 4:487-491, 2007.
 
 
Novidade: Fitness School

A Body Systems apresenta seus novos produtos! Com foco nos profissionais que buscam o aperfeiçoamento para atuar nas mais diversas áreas!